Telefone (11) 3044-2853

Os períodos de gestão e os cuidados para saúde da mãe e do bebe

Aqui você encontrará informações sobre a evolução da gravidez, o que acontece no corpo da mulher, além de dicas de cuidados para a saúde da gestante e a do bebê até a 40ª a semana de gestação.

Assim, com você informada e atenta às mudanças que acontecem neste período, sua gravidez será ainda mais especial.

Na vida, temos medo do desconhecido; portanto, leia, informe-se e procure tirar todas as dúvidas pessoais sempre com o seu médico.

A gestação é um momento muito importante e especial na vida da mulher e da família. Todo esforço e atividades são justificados como o caminho para uma preparação adequada e para obter, enfim, o máximo de satisfação e um bebê saudável.

Boa leitura!

6 semanas de gestação

Início da gravidez

O atraso da menstruação é a condição inicial mais frequente e importante para que você suspeite de uma gestação. O diagnóstico pode ser obtido com um teste de gravidez realizado nos primeiros dias de atraso da menstruação.

Evolução do bebê

• O embrião está dentro do saco gestacional (bolsa de líquido).

• Ele possui cérebro, espinha e sistema nervoso central simples.

• Na cabeça, há esboço dos olhos e ouvidos.
• Já há a presença de brotos dos braços e das pernas.

Comprimento: 1 cm aproximadamente1.

Peso: 0,5 g aproximadamente.

Mudanças na gestante

• Você pode ter uma limitação que aumenta progressivamente e é possível que, neste período, não consiga realizar determinadas atividades como antes da gravidez. De modo geral, seu limite é a dor. Evite atividades, mesmo temporariamente, que lhe causem dor ou desconforto.

• Enjoos e vômitos são comuns nesta etapa tendendo a melhorar ou passar após o terceiro mês. Caso necessário você poderá ser medicada para alívio desses sintomas.

• Você poderá sentir uma sonolência excessiva comum no início da gravidez e tendência a queda da pressão arterial, assim como a diminuição do açúcar (glicose) no sangue. Procure beber água com frequência e comer em intervalos mais curtos como a cada 3 horas.

1• Medida obtida por ultrassonografia considerando o comprimento cabeça-nádega (CCN)

Cuidados e atividades: 6 semanas de gestação

• Caso você não tenha iniciado a ingesta do ácido fólico antes da gravidez (situação ideal), comece a ingeri-lo logo após o diagnóstico de gestação, na dose de 4 mg ao dia. Mantenha seu uso até o terceiro mês.

• Se você já vinha praticando alguma atividade física antes da gravidez poderá continuar, como regra geral, caso não haja contraindicação médica.

• Inicie o uso de cremes e óleos hidratantes no corpo assim como produtos faciais com proteção solar.

• Procure manter uma dieta fracionada de 5 a 6 vezes ao dia dando preferência a frutas, verduras, legumes e fibras para também evitar a obstipação intestinal comum na gestação.

• Pare de fumar, caso ainda não tenha cessado, e evite bebida alcoólica. Estimule seu companheiro ou familiar a parar também de consumir tais substâncias.

• Nesta fase, é importante que você tenha iniciado o pré-natal, realizando os exames laboratoriais necessários. Se possível, faça um primeiro exame de ultrassom para confirmar o tempo de gestação e o adequado desenvolvimento do seu bebê por volta da 7ª ou 8ª semana de gravidez.

• Comunique que está grávida no seu trabalho, para que sejam tomadas as precauções necessárias.

• Pergunte ao seu médico quais são as suas limitações, identificando o que você pode ou não fazer. Oriente-se também sobre o uso de produtos ou medicamentos permitidos durante a gravidez.

• Caso não tenha se vacinado contra a gripe no ano da gravidez, você deve ser encaminhada para receber a respectiva dose.

• É comum, principalmente nos três primeiros meses, você sentir desconforto ou dor na região pélvica, semelhante a uma cólica menstrual (como se fosse menstruar). Geralmente, essa sensação passa sozinha sem o uso de medicamentos. Caso isso não ocorra, consulte seu médico para que ele a examine e receite a medicação adequada para a diminuição da dor, se necessário. Em situações de continuidade e/ou piora da dor após o analgésico ou de algum tipo de sangramento vaginal, procure imediatamente por assistência médica.

• No primeiro trimestre, há o risco de leve sangramento pela vagina, acompanhado ou não de dor, chamado de “ameaça de abortamento”. Se você perceber algum tipo de sangramento, procure o seu médico ou um hospital imediatamente.

• O abortamento ocorre em cerca de 15% de todas as gestações. É diagnosticado principalmente pela ultrassonografia, mas há situações nas quais é percebido ao acaso. Um dos maiores motivos, nesta fase, é a existência da malformação no ovo-embrião.

Evolução do bebê

• O embrião está dentro do saco gestacional (bolsa de líquido).

• Ele possui cérebro, espinha e sistema nervoso central simples.

• Na cabeça, há esboço dos olhos e ouvidos.
• Já há a presença de brotos dos braços e das pernas.

Comprimento: 1 cm aproximadamente1.

Peso: 0,5 g aproximadamente.

Mudanças na gestante

• Você pode ter uma limitação que aumenta progressivamente e é possível que, neste período, não consiga realizar determinadas atividades como antes da gravidez. De modo geral, seu limite é a dor. Evite atividades, mesmo temporariamente, que lhe causem dor ou desconforto.

• Enjoos e vômitos são comuns nesta etapa tendendo a melhorar ou passar após o terceiro mês. Caso necessário você poderá ser medicada para alívio desses sintomas.

• Você poderá sentir uma sonolência excessiva comum no início da gravidez e tendência a queda da pressão arterial, assim como a diminuição do açúcar (glicose) no sangue. Procure beber água com frequência e comer em intervalos mais curtos como a cada 3 horas.

1• Medida obtida por ultrassonografia considerando o comprimento cabeça-nádega (CCN)

12 semanas de gestação

As náuseas tendem a diminuir a partir das 12 semanas de gestação. Aumenta, no entanto, a sensibilidade emocional com variações de humor e irritabilidade.

Evolução do bebê

• O bebê tem todos os membros formados, mas eles ainda são curtos. A cabeça continua muito grande em relação ao resto do corpo.

• Como todos os órgãos internos estão formados e funcionando, o bebê já está mais protegido contra a ação de drogas e infecções.

• Ele se mexe mais, embora você ainda não possa perceber.

• Já há movimentação dos olhos, do intestino e dos dedos das mãos e dos pés, que estão completamente formados.

• Surgem pequenas unhas nos dedos.

• O bebê já produz urina e a elimina no líquido da bolsa amniótica.

• Movimenta a boca, abre e fecha os lábios.

• Suga e engole os líquidos que o envolvem.

• Possui orelhas bem desenvolvidas com lóbulos, e as pálpebras fechadas sobre os olhos

Comprimento: 5,4 cm aproximadamente1.

Peso: 60 g aproximadamente.

Mudanças na gestante

• Os enjoos e vômitos devem melhorar ou cessar. Você pode começar a sentir mais fome.

• Alivia-se a vontade de urinar com mais frequência, que pode retornar ao final da gestação.

Se você sofria de corrimento vaginal antes da gravidez, há uma tendência de piora. O seu médico pode oferecer um tratamento adequado caso seja necessário.

• Nesta fase, sob o ponto de vista psicológico e emocional, a gestação está mais aceita e incorporada.

• Você pode passar a ter desejos por comidas ou aversões a elas, associado a um progressivo aumento do apetite.

• Sua sensibilidade e emotividade estão aumentadas, com tendência a variações de humor e irritabilidade, devido às alterações metabólicas e hormonais.

• Está mais propensa a ter prisão de ventre, principalmente se já tivesse antes da gravidez, sendo necessária a dieta laxativa, rica em fibras, e o consumo de bastante de líquido.

• Suas mamas estão cada vez maiores, mais pesadas e sensíveis. Use sutiã apropriado.

• As possíveis cólicas ou o desconforto na região pélvica já devem estar melhorando neste período da gravidez

1• Medida obtida por ultrassonografia considerando o comprimento cabeça-nádega (CCN)

Ganho de peso na gestação

Os três primeiros meses são o período de menor ganho de peso materno. Em média, são adquiridos de 1, 2 a 3 kg em uma gestação normal, sem excesso de vômitos. Neste período, há, aproximadamente, um aumento de peso de 10 a 20% do total da gravidez. Por causa dos enjoos e do elevado nível hormonal, é provável que você ainda não sinta tanta necessidade de comer.

Cuidados e atividades: 12 semanas de gestação

Mantenha uma dieta bem balanceada, variada e fracionada (não fique mais que 2 ou 3 horas sem ingerir algo). Coma alimentos ricos em fibras e cálcio.

• Mulheres que engravidam após cirurgia bariátrica necessitam ingerir doses maiores de ácido fólico e de outros elementos, como vitaminas complexo B, ferro e cálcio.

• Continue o uso de cremes e óleos hidratantes no corpo todo, exceto nos mamilos. Tais produtos não evitam estrias, mas aumentam a hidratação melhorando a elasticidade da pele. Utilize também produtos faciais com proteção solar. Se preferir, tenha o acompanhamento de um dermatologista para formular produtos específicos para o seu tipo de pele.

• Após a 12ª semana, os riscos de abortamento e de perda fetal já são bem menores e relacionados quase sempre a doenças maternas.

• Faça a Ultrassonografia Morfológica Fetal do primeiro trimestre, entre o período de 11 a 13 semanas e 6 dias, para a avaliação de malformações e do risco de anomalias cromossômicas, como a Síndrome de Down.

• Passados os primeiros três meses da gravidez e após ter realizado a Ultrassonografia Morfológica você poderá ser encaminhada pelo seu médico para iniciar uma atividade física adequada à gestação como pilates, ioga, natação, hidroginástica e exercícios aeróbicos supervisionados.

• Comece a pensar no uso das meias elásticas compressivas indicadas pelo seu médico para diminuir o risco de trombose venosa, varizes, cãibras e inchaço das pernas.

• Você poderá manter relações sexuais normalmente que somente serão contraindicadas caso haja dor, sangramento ou risco de abortamento.

• Caso nestes três primeiros meses você tenha tido um ganho muito excessivo de peso seu médico poderá encaminhá-la para uma avaliação com nutricionista.

• No terceiro mês de gestação já é possível parar a ingesta do ácido fólico e iniciar, a critério médico, o uso de polivitamínicos apropriados para a gestante. Esses suplementos visam à prevenção da anemia e à adequada suplementação vitamino-mineral. O uso desses produtos tem como objetivo beneficiar também o feto, e não engordam.

16 semanas de gestação

Nesta fase, a principal característica é a gravidez se tornar visível no corpo, principalmente da segunda gestação em diante. Isso pode provocar mudanças no seu vestuário com a necessidade do uso de roupas mais folgadas e confortáveis. Você pode se sentir mais pesada e diferente.

Evolução do bebê

• Seu bebê já tem sobrancelhas, cílios e uma fina lanugem na face e no corpo.

• Os ossos e as juntas estão em pleno desenvolvimento.

• Os órgãos genitais estão bem desenvolvidos e aparentes. É possível visualizá-los pelo exame de ultrassonografia do quarto mês em diante.

• O bebê movimenta-se muito e você poderá sentir seus movimentos no período entre 18 e 20 semanas na primeira gravidez ou a partir de 16 semanas na segunda gestação em diante.

• Ele respira e chupa os dedos.

• Nesta fase, o médico pode ouvir os batimentos cardíacos do bebê durante a consulta por um aparelho chamado “sonar”. As batidas têm um ritmo em média duas vezes mais rápido que o seu (110 a 160 batimentos por minuto).

Comprimento: 16 cm aproximadamente.

Peso: 150 g aproximadamente.

Mudanças na gestante

Neste período, você tende a sentir a melhora dos enjoos e um aumento progressivo do apetite.

• Começa a perceber mudanças maiores no corpo. Uma delas é a hiperpigmentação da pele, que causa aumento da coloração de manchas e sardas. No rosto, podem surgir manchas escuras (cloasma). No meio da barriga, do umbigo até o púbis, pode haver o gradual aparecimento de uma linha escura chamada

linea nigra.

• Os mamilos e as aréolas (bico dos seios e a pele em volta do mamilo) também escurecem pela ação hormonal.

• Sua cintura aumenta com um arredondamento abaixo do umbigo, muitas vezes já visível e até palpável por você (útero gravídico).

• Emocionalmente, você está mais estável e tranquila. Fisicamente estará sentindo-se muito bem podendo fazer quase tudo como antes da gravidez.

• O segundo trimestre costuma ser o mais tranquilo e confortável para a gestante sendo também o período mais recomendado para fazer viagens, caso necessário.

Ganho de peso na gestação

No segundo e terceiro trimestres, você pode ter, em média, um aumento de 400 g por semana. O total do ganho de peso materno adequado na gravidez é de 11 a 16 kg em mulheres com peso inicial normal (Índice de Massa Corpórea - IMC entre 18,5 e 25).

Cuidados e atividades: 16 semanas de gestação

Atenção com o aumento do apetite; cuidado com o ganho de peso. Lembre-se: coma para dois, e não “por dois”.

• Caso não tenha feito o exame inicial de ultrassom ainda no primeiro trimestre, faça-o agora, pois quanto mais precoce melhor para confirmar a data prevista do parto.

• Neste período, é possível fazer uma ultrassonografia obstétrica para identificar o sexo do bebê.

• É recomendado iniciar o uso da meia elástica compressiva se ainda não o fez pois somente o fato de estar grávida já aumenta em cinco vezes o risco de trombose venosa, além de a meia proteger contra varizes.

• Mantenha o uso de cremes hidratantes para a pele do corpo além do protetor solar facial.

• Se você não tomou a vacina contra o tétano nos últimos 10 anos ou não se recorda, poderá ser encaminhada para um posto de saúde para receber uma dose da vacina dupla adulto dT (difteria e tétano). Poderá receber também a vacina contra a hepatite B caso ainda não esteja imunizada.

20 semanas de gestação

Metade da gravidez. Este período é marcado pelo grande bem-estar e tranquilidade ao sentir o bebê mexer, o que possibilita um maior contato com ele. Você está ótima. Aproveite esta boa fase até o terceiro trimestre.

Evolução do bebê

• O bebê já sabe apertar as mãos, tem cabelo e os dentes se desenvolvem.

• Os braços e as pernas estão bem desenvolvidos e proporcionais ao corpo.

• Ele deglute e urina no líquido amniótico da bolsa.

• A alimentação é feita através do sangue que vem do cordão umbilical e da placenta, que funciona como filtro de proteção e nutrição para o bebê, além de ser uma fonte produtora de hormônios. Na placenta ocorrem as trocas de nutrientes, oxigenação, passagem de anticorpos e de qualquer medicação ingerida. O bebê é protegido pelo líquido amniótico, que é produzido e renovado diariamente, regulando sua temperatura, recebendo a urina e evitando infecções externas e traumas.

• Ele já ouve, reage a ruídos, sustos ou estresse, às vezes mexendo-se muito.

Comprimento: 25 cm aproximadamente.

Peso: 330 g aproximadamente.

Mudanças na gestante

• Suas mamas talvez já produzam o colostro, uma secreção mais clara e aquosa que o leite. Caso ele vaze, enxugue os mamilos e mantenha-os secos, sem espremer.

• Junto com o aumento gradual do volume dos seios, seus mamilos e suas aréolas tornam-se mais escuros. Há também uma tendência a maior pigmentação da pele do corpo, principalmente com a exposição ao sol. Por esse motivo recomenda-se usar protetor solar.

Na primeira gravidez, o útero demora mais para ser visível a outras pessoas. Esse fato, associado ao natural aumento do apetite nesta fase, pode impulsioná-la a comer mais e engordar muito.

• O fundo do útero alcança a altura do seu umbigo e agora, no meio da gravidez, já é facilmente percebido por você.

• A percepção dos movimentos fetais nesta época gera um grande alívio e, psicologicamente, um sentimento de personificação do feto. Essa integração entre feto, mãe e companheiro ou familiar, que agora também passa a sentir, vivenciar e comunicar-se com o bebê, cria um forte vínculo.

• Você pode começar a perceber os efeitos da “lordose gravídica” (desvio e excesso de curvatura para trás da sua coluna), que ocorre para compensar o peso para frente do seu abdome, ocasionando dores nas costas ou na coluna. Praticar atividade física como o pilates é útil também para prevenir estes desconfortos.

Ganho de peso na gestação

Por volta da 20ª semana, seu ganho de peso pode ser de, aproximadamente,

0,5 kg/semana até os próximos dois meses. Este é um período de elevado aumento de peso materno e de crescimento do bebê.

Cuidados e atividades: 20 semanas de gestação

Procure manter sempre uma boa postura, principalmente quando ficar muito tempo em pé ou sentada, como no trabalho. Use sapatos de salto baixo e confortáveis.

• Você deve usar meias elásticas para evitar varizes, cãibras, inchaço dos pés e prevenção da trombose venosa nas pernas. Essas meias devem ser específicas para gestantes, do tipo média compressão, e em tamanho adequado. Use as principalmente se permanecer muito tempo em pé, parada na mesma posição ou sentada com os pés para baixo, neste caso, procurando também movimentar sempre os pés.

Durante a gestação, há uma tendência para a formação de cálculos renais pela lentidão do fluxo urinário e pelo acúmulo de urina, em especial se você já tem antecedentes pessoais ou familiares de calculose. Aconselha-se beber muito líquido, de preferência água, principalmente nos períodos de maior calor, além de fazer atividade física.

• Nesta fase, você deve fazer um exame de ultrassonografia chamado Morfológico Fetal do segundo trimestre, entre 21 e 23 semanas e 6 dias. É o melhor exame e específico para detectar malformações fetais.

• Para repor as necessidades de vitamina D durante a gravidez, recomenda-se a exposição ao sol dos braços e das pernas, sem protetor solar nessa região, pelo menos duas vezes por semana, no período das 10h às 16h.

• Continue usando cremes hidratantes com proteção solar, fator (FPS) 15 ou maior na pele do rosto diariamente.

• A critério médico, você pode ser encaminhada para consulta com nutricionista especializado a fim de controle do ganho de peso na gravidez, reeducação alimentar e mudança de hábitos.

• Esta é uma boa época para planejar o enxoval, os acessórios e o quarto do seu bebê, uma vez que geralmente já se sabe o sexo pela ultrassonografia.

24 semanas de gestação

Este costuma ser um dos melhores períodos da gravidez. Você se sente muito bem, feliz, sem grandes limitações e com a sua gestação tornando-se mais visível.

Evolução do bebê

• A pele do bebê está se espessando (aspecto enrugado). • Ele tosse e soluça, e é possível sentir seus pulos.

• Ainda parece magro; seus olhos salientes não se abrem, mas o bebê ouve perfeitamente.

• Ocorrem períodos de sono, intercalados com extensa movimentação, às vezes reagindo a estímulos externos, como sons altos, sustos, música ou mesmo quando se fala com ele.

• Um bebê nascido neste período, menos de 24 semanas, tem menos chance de sobrevida porque uma parte do pulmão não está totalmente formada para fazer a troca de gases necessária.

• O cordão umbilical liga o umbigo do bebê à placenta. Ele contém, no seu interior, três vasos (duas artérias e uma veia) por onde circulam todo o sangue e o oxigênio necessários ao desenvolvimento do bebê.

Comprimento: 30 cm aproximadamente.

Peso: 670 g aproximadamente.

Mudanças na gestante

• As gengivas aumentam e tornam-se mais frágeis, com maior facilidade de sangramento.

• Comumente, ocorre um ganho de peso maior do que nos outros meses, que pode ser exagerado, associado a um aumento do apetite. Quando muito acima do peso normal, esse aumento tende a piorar as dores musculares e nas costas, causar mais estrias, varizes e edemas. Há maior probabilidade de desenvolver hipertensão arterial, diabetes gestacional, além de maior risco de infecção cirúrgica pós-parto, principalmente se for cesárea.

• Você pode sofrer uma lentidão normal do trânsito intestinal com tendência à formação de fezes ressecadas, gases e até hemorroidas. Procure manter uma dieta laxativa com fibras, frutas, verduras, legumes e muita água.

• Pode aparecer uma anemia normal (fisiológica) da gravidez devido ao aumento e à diluição gradativa do seu volume sanguíneo circulatório, com tendência à elevação da pressão arterial e inchaço.

• As necessidades de ferro no decorrer da gravidez aumentam progressivamente sendo recomendado o combate à anemia com polivitamínicos, além de alimentação saudável.

• Alterações do desejo (libido) e do desempenho sexual são comuns nesta época. Às vezes por não se sentir atraente, por medo de machucar o bebê ou mesmo por diminuição da libido do parceiro.

Ganho de peso na gestação

O ganho de peso continua a ser em média 400 a 500 g/semana, aproximadamente 1,5 a 2 kg/mês, com tendência a aceleração.

Cuidados e atividades: 24 semanas de gestação

Caso tenha sensibilidade nas gengivas, procure seu dentista. O ideal é fazer uma avaliação odontológica de rotina antes da gestação.

• O exame de Ecocardiografia Fetal pode ser solicitado, em torno da 26a a 28a semana, período ideal para avaliar melhor o coração do bebê. Este exame é indicado principalmente em gestantes acima de 35 anos.

•Alguns exames laboratoriais de sangue e de urina devem ser repetidos neste período (24 a 26 semanas), além de outros novos, como o de sangue para o diagnóstico de diabetes.

• Faça períodos de descanso durante o dia com os pés para cima, durante pelo menos uma hora. Continue usando as meias elásticas compressivas.

• Você deve receber uma dose da vacina tríplice bacteriana contra a coqueluche (dTPa). Deve ser verificada a necessidade do reforço da vacina contra o tétano (dupla adulto-dT) e a vacina contra a hepatite B, a critério médico, caso ainda não tenha feito.

• As roupas devem ser mais folgadas e soltas, pela proeminência de seu ventre. Use calcinhas e sutiãs próprios para gestantes, prefira as peças de algodão.

• Continue fazendo exercícios regularmente, como caminhadas.

• Mantenha uma alimentação balanceada, fracionada em 5 a 6 refeições ao dia, rica em fibras, ferro e cálcio. Beba água com frequência.

 

Atendimento Particular e Convênio Livre Escolha

Atendemos todos os planos de saúde e convênios médicos pelo sistema de Livre Escolha, nas melhores maternidades de
São Paulo. Converse com a nossa secretária e tire todas as suas dúvidas.

28 semanas de gestação

Sétimo mês. A formação do bebê já está em um estágio avançado. Você tem mais dores e incômodos físicos. Deve fazer pausas para descanso e manter os exercícios.

Evolução do bebê

• A pele do bebê está fina e protegida pelo verniz caseoso, uma espécie de sebo branco produzido pelas glândulas da pele.

• Sua audição está bem desenvolvida.

• As papilas gustativas estão se formando; o bebê já tem paladar e identifica os sabores doces, ácidos ou amargos.

• Ele abre e fecha as pálpebras e está começando a enxergar.

• O bebê tem o cérebro bem desenvolvido e complexo; é capaz de sentir dor como um recém-nascido.

• Os movimentos mais intensos ou mesmo partes do bebê, como pés ou nádegas, podem ser sentidos por você, seu companheiro ou familiar ao colocarem a mão sobre a sua barriga.

• Se o bebê nascer neste período, tem chance de 80 a 90% de sobrevida, geralmente sem sequelas importantes.

Comprimento: 38 cm aproximadamente.

Peso: 1,2 kg aproximadamente.

Mudanças na gestante

• Estrias podem aparecer na sua pele, com mais frequência na região da barriga, dependendo de fatores genéticos familiares e individuais, excesso de ganho de peso e elasticidade da pele. As estrias desta gestação têm coloração róseo-avermelhadas e, depois do parto, ficam esbranquiçadas e menos evidentes. Antes do aparecimento delas, pode haver uma coceira no local, mas não é o fato de coçar que causa ou aumenta as estrias.

• Você pode ter algumas queixas e sintomas comuns desta época, início do terceiro trimestre, como azia, indigestão, corrimento vaginal, cãibras, entre outros.

• Dores pélvicas ou na coluna lombar, além de uma sensação de peso ou incômodo, são mais frequentes, principalmente após esforços físicos, atividades de trabalho e ao final do dia.

• Os seios continuam aumentando de tamanho, estão bem sensíveis e podem aparecer veias ao redor deles.

Ganho de peso na gestação

Nestes últimos meses de gestação, você pode ganhar cerca de 5 kg, ou seja, 30% a 40% do total da gravidez

Cuidados e atividades: 28 semanas de gestação

• Procure descansar um pouco durante o seu dia de trabalho. Sempre que possível, ponha os pés para cima e tente deitar mais cedo à noite.

• Informe-se no local em que pretende ter seu bebê ou em outras maternidades sobre a existência de cursos preparatórios para o parto e cuidados com o recém-nascido, principalmente se for sua primeira gestação. Aproveite para visitar o hospital e conhecer as acomodações, a admissão, as salas de parto normal etc. Isso irá tranquilizá-la como preparação para esse grande momento.

• Continue passando protetor solar na face, além dos cremes e óleos hidratantes, principalmente nas regiões do seu corpo com maior ganho de peso, como as nádegas, coxas, abdome e mamas.

• Use sutiã adequado, bem justo, para manter os seios firmes e se possível de algodão.

• É recomendável que você continue expondo os braços e as pernas ao sol, sem protetor, na hora do almoço, por exemplo, principalmente se estiver com o nível da vitamina D baixa no sangue.

• Você deve repetir alguns exames laboratoriais, caso ainda não os tenha feito, e a ultrassonografia obstétrica.

• Caso seu sangue seja tipo Rh negativo, deve fazer controle com exames de sangue periódicos até o parto (teste de Coombs). Nesta fase, você pode receber uma dose de imunoglobulina (vacina) anti-Rh (anti-D) para a prevenção de sensibilização com um eventual sangue Rh positivo do seu bebê.

• Você pode usar uma “cinta-calça” para gestante a fim de combater as dores nas costas (lombar) e as pontadas na pelve (pé da barriga). Ela é indicada principalmente se você já teve uma gravidez anterior com parto cesárea. Exercícios físicos de fortalecimento e alongamento muscular, como o pilates, também auxiliam na prevenção e no combate das dores na gravidez. Hidroginástica e caminhadas são úteis para auxiliar no controle do ganho de peso durante a gestação.

32 semanas de gestação

Oitavo mês. Você provavelmente está mais lenta, cansada e pesada, sem disposição para fazer todas as coisas como antes. Com as mudanças no corpo, pode aparecer o receio de não voltar a ser como era antes. Sente maior necessidade de receber cuidados, atenção, proteção e afeto, continuando muito sensível e emotiva.

Evolução do bebê

• A cabeça está em proporção correta com o corpo.

• Nesta época, ele já começa a definir uma posição dentro do seu útero, geralmente de cabeça para baixo (cefálico), posição correta para o parto normal.

• A maturidade pulmonar está em pleno desenvolvi- mento com a produção de uma substância chamada “surfactante”, necessária para a respiração normal após o nascimento.

• Ele começa a perceber a diferença entre claro e escuro, e orienta-se em relação à luz.

Comprimento: 42 cm aproximadamente.

Peso: 2 kg aproximadamente.

Mudanças na gestante

• É provável que você já não consiga dormir tão bem como antes, sentindo-se desconfortável, sem posição na cama, ou mesmo incomodada com os movimentos excessivos do bebê à noite e percebidos com maior frequência. Podem ocorrer sonhos com o parto ou com o bebê, dificultando ainda mais seu descanso, além das contrações uterinas.

• À medida que o bebê e o útero crescem, pressionam órgãos internos da mãe, causando sintomas como falta de ar, cansaço fácil, indigestão, vontade de urinar com maior frequência ou perda de urina em situações de esforço, como correr, rir, tossir ou espirrar.

• Seu umbigo fica mais esticado e achatado conforme a barriga cresce ou mais saliente e caído, se essa não é a sua primeira gestação.

• A linha escura na pele no meio da sua barriga (linea nigra) torna-se cada vez mais evidente e pigmentada.

• Você sente os movimentos do bebê como um “chute” ou pontadas no alto da sua barriga até debaixo das costelas. Às vezes, ocorrem junto com as contrações e podem causar uma sensação dolorosa no abdome.

• Há um leve aumento dos pelos em algumas partes do corpo, como braços, pernas, abdome e, especialmente, na face. Por outro lado, pode haver uma perda de fios do couro cabeludo, como ocorre também nos primeiros meses após o parto.

Ganho de peso na gestação

Nesta fase, o ganho de peso deve ser rigorosamente controlado, principalmente se você tiver tendência ao diabetes, pressão alta, facilidade para engordar, for obesa ou tiver um excessivo aumento de peso até o momento.

Cuidados e atividades:  32 semanas de gestação

• Insônia e ansiedade são normais nesta fase. No caso de estar com dificuldade para dormir, faça algum tipo de relaxamento, massagem ou banho quente antes de ir para cama. Não faça atividades vinculadas ao trabalho ou que exijam concentração mental antes de deitar. Prefira refeições leves, sem excesso de líquidos no jantar, e evite café. Não deite logo após as refeições. Eleve a cabeceira da cama (use dois travesseiros se quiser) e procure deitar de lado com a perna de cima dobrada e apoiada sobre um travesseiro.

• Continue a praticar exercícios físicos, como hidroginástica, natação, caminhadas, ioga, e técnicas de relaxamento. Eles são úteis para combater as dores pélvicas e nas costas, ter controle urinário, melhorar a qualidade do sono, diminuir o cansaço e a indisposição, regular ganho de peso, além de atenuar o inchaço e as cãibras.

• Use protetor solar e evite expor o abdome ao sol.

• Cuide para evitar o aumento excessivo de peso, controlando o consumo de açúcar, sal, doces, massas, tortas, bolos, sanduíches e sobremesas. Dê preferência para uma dieta vegetariana. Use adoçantes mais naturais, como sucralose e estévia. É nesta época que costumam aparecer o diabetes melito e a hipertensão arterial, principalmente se houver antecedentes familiares ou alterações em gestações anteriores.

• A fim de avaliar as condições de períneo e do assoalho pélvico, você pode ser encaminhada pelo seu médico para se consultar com um fisioterapeuta obstétrico durante a gestação. Assim, é possível se preparar adequadamente para o parto normal, aumentando as chances de sucesso.

• Ande sempre com seu cartão de pré-natal e seus documentos, levando-os a toda consulta médica, principalmente quando for ao hospital. Não esqueça também seus exames e todas as ultrassonografias realizadas.

• Você pode fazer um curso preparatório para gestantes. É muito útil, principalmente se for sua primeira gravidez.

36 semanas de gestação

Último mês. Nesta fase, você deve pensar em descansar mais e em parar de realizar atividades rotineiras assiduamente, como trabalhar, tendo assim mais tempo para os preparativos finais para o parto e o enxoval do bebê. É comum a expectativa para que termine logo a gestação, estar ansiosa e apreensiva quanto ao momento do parto, para ver o seu bebê e, enfim, tornar-se mãe. Logo seu bebê completa 37 semanas, quando deixa de ser considerado prematuro.

Evolução do bebê

• O bebê já ocupa quase todo o espaço dentro do seu útero, por isso parece mexer menos à medida que a gravidez se aproxima do final. Ele mais chuta ou esmurra do que muda de posição.

• Nesta época, é comum sentir as contrações uterinas normais fisiológicas chamadas “Braxton Hicks”, principalmente após os movimentos do bebê. Aparecem como um endurecimento da barriga, na região do útero em direção para baixo, de fraca intensidade, curta duração e geralmente indolor. Essas contrações são normais na gravidez e se tornam cada vez mais frequentes como preparação para o parto, as chamadas “contrações de treinamento”.

• O bebê progressivamente acumula gordura sob a pele. Esta é uma fase de ganho máximo de peso, cerca de 200 a 300 g/semana, mais de 30 g/dia, e ele fica mais cheinho e proporcional. A gordura acumulada será consumida como fonte de energia nos primeiros dias de vida após o parto, até que você tenha leite suficiente para nutri-lo.

• A pele está rosada e mais resistente.

• Se for um menino, os testículos já desceram para a bolsa escrotal.

• Os cabelos estão grandes, com cerca de 5 cm de comprimento.

• Há presença de finas unhas nos dedos dos pés e das mãos.

• Os movimentos respiratórios aumentam; o sistema pulmonar está quase totalmente amadurecido.

• A audição intensifica-se.

Comprimento: 47 cm aproximadamente.

Peso: 2,8 kg aproximadamente.

Mudanças na gestante

• Neste último período, você tende a inchar mais, principalmente nos pés, nas pernas e nas mãos; sendo maior o inchaço em épocas de clima quente.

• As varizes podem aparecer ou piorar e são mais frequentes nas pernas, sobretudo em ges- tantes obesas, com ganho excessivo de peso, com antecedentes familiares importantes ou da segunda gestação em diante.

• Na primeira gestação, algumas queixas, como azia, indigestão, falta de ar e cansaço, podem melhorar por volta de duas semanas antes do nascimento, quando a cabeça do bebê desce e se encaixa na posição de parto, chamada de “queda do ventre”.

• Você sente vontade de urinar com muito mais frequência pela pressão do útero e da cabeça fetal sobre sua bexiga.

• Caso haja dor ou sangramento às evacuações, associados à prisão de ventre, pode ser devido à presença de hemorroidas.

• Você pode ter dificuldade para dormir em decorrência de falta de posição confortável, dor nas costas, excesso de movimentação do bebê, contrações uterinas (endurecimento da barriga), falta de ar e ansiedade.

• As contrações uterinas são cada vez mais incômodas e frequentes causadas por esforço, trabalho, estresse ou mesmo movimentação do bebê, o que determina a época ideal para o seu afastamento do trabalho e o início da licença-maternidade.

• A essa altura fica bem mais difícil locomover- se, andar muito, permanecer em pé longos períodos e manter uma boa postura. Procure descansar mais, aceite suas novas limitações e seu ritmo reduzido.

• Psicologicamente, este pode ser um mês de muita ansiedade, insegurança, angústia e temores pela proximidade do parto, pela mudança de vida e pelo fato de vir a tornar- se mãe. Como consequência, ocorrem de maneira mais frequente sonhos e pesadelos.

Ganho de peso na gestação

Nesta fase final, seu ganho de peso tende a ser menor. Caso aumente muito subitamente, verifique se há excesso de retenção de líquidos, que causa um inchaço generalizado e risco de elevação da pressão arterial.

Cuidados e atividades:  36 semanas de gestação

A partir desta fase, faça um exame de ultrassom obstétrico para avaliação da placenta, do líquido amniótico e do crescimento, da posição e do peso fetal. O exame também é uma forma de tranquilizá-la sobre o andamento da gravidez.

• Procure manter o uso das meias de compressão até o final da gravidez. Elas podem ser indicadas mesmo após o parto.

• Diminua o sal da dieta, descanse sempre com os pés para cima e movimente-os com frequência.

• Informe o seu médico caso as dores na barriga e nas costas não tenham melhora após

o repouso e continuem a incomodar. Ele pode prescrever alguma medicação.

• Você pode dar início, a critério médico, aos cuidados com os seios e mamilos, preparando- os para a amamentação. Os mamilos podem ser estimulados para ficarem protusos. No caso de serem invertidos, utilize conchas específicas. A pele local pode ser previamente preparada e “engrossada”. Use sutiã adequado. Oriente-se com o seu médico.

• Verifique os documentos e procedimentos necessários para a licença-maternidade. Legalmente, a licença deve ser iniciada cerca de um mês antes da data prevista para o parto, ou seja, a partir da 36a semana. Mas, se você preferir e de acordo com o seu médico, pode iniciar a licença mais tarde, em torno da 38a semana e utilizar o tempo restante para ficar mais tempo afastada após o parto, amamentando seu bebê em casa. Verifique também se há um acerto de férias pendentes ou futuras, antes ou depois do parto, que possam prolongar a licença.

• Fique atenta aos sinais de pressão alta, principalmente em casos de: obesidade, ganho excessivo de peso durante a gravidez, muito inchaço, primeira gravidez, relatos de pressão alta anteriormente, familiares com hipertensão, menor de 18 anos ou maior de 35 anos. O sintoma mais frequente é a cefaleia, uma dor de cabeça quase constante, com sensação de peso na nuca, que não melhora com o uso de analgésicos e comumente está associada a alterações visuais, como pontos coloridos luminosos que passam pela vista semelhantes a vaga-lumes, os chamados escotomas. Procure o seu médico ou o hospital, caso tenha alguns desses sinais e sintomas.

• Neste período, você deve ser encaminhada para colher um exame laboratorial via vaginal e anal para pesquisar a presença da bactéria Streptococcus agalactie, do grupo B. Se positivo, o resultado é importante para o uso de um antibiótico específico para essa bactéria no dia do parto.

• Se você tiver o bebê por meio de plano de saúde, informe-se com o seu médico sobre os procedimentos adotados para a internação hospitalar, como a guia de autorização e o encaminhamento à maternidade. Faça uma visita anteriormente para conhecer a maternidade. Providencie os documentos necessários e separe-os previamente.

• A partir de agora, o retorno às consultas de pré-natal deve ser mais frequente, passando para quinzenal e depois semanal, até o parto. Caso sua gestação seja de alto risco e você faça pré-natal no SUS, pode ser encaminhada para um hospital de referência especializado e realizar um seguimento mais rigoroso.

• Uma adequada preparação para o parto, incluindo cursos de gestantes e leituras, além de conversar sempre com o seu médico, pode lhe ajudar a lidar a com ansiedade e a insegurança desta fase.

• Você poderá conversar com seu médico sobre suas preferências, desejos e seu plano de parto, tirando dúvidas e se informando ao máximo.

• Aproveite para terminar o seu enxoval, o do bebê ou do quarto dele e o da maternidade. Deixe tudo pronto. Tente relaxar, ler, ouvir música, ver filmes.

• Curta bastante este momento com seu companheiro ou familiares. Caso tenha outros filhos, converse com eles. Estimule a participação de todos a sua volta na gravidez, fazendo-os sentir úteis e importantes.

40 semanas de gestação

O final da gravidez. Chegou o 9º mês e você completou as 40 semanas de gestação. Sente o seu corpo bem diferente e a sua barriga volumosa. Pode estar impaciente, ansiosa ou até temerosa com a chegada do parto. Por outro lado, está aliviada e feliz porque finalmente está chegando o momento de ver o seu bebê.

Evolução do bebê

• As unhas do bebê estão compridas e ele pode se arranhar.

• O bebê está bem nutrido, com aspecto cheinho. Ele ganha peso e acumula gordura utilizada também como fonte de energia nos primeiros dias após o parto, enquanto aguarda a descida do leite da mãe que ocorre em torno do terceiro dia do nascimento. Neste período, após o parto até a alta hospitalar, ele perde em média de 5% a 10% do seu peso inicial.

• Se o peso for menor que 2,5 kg, é considerado pequeno ou de “baixo peso”. Se for maior que 4 kg, é considerado grande ou “macrossômico”.

• O cálculo do peso fetal é aproximado, pois mesmo o exame de ultrassonografia tem uma margem de erro de 10% a 15%, para mais ou para menos, durante a gravidez. Lembre-se: não existem balança nem fita métrica dentro do útero!

• Geralmente, a estimativa clínica definitiva do peso do bebê e da passagem dele pela sua bacia é feita somente durante o trabalho de parto, sobretudo após a rotura da bolsa com a saída do líquido amniótico.

• Bebês grandes ocorrem com frequencia em casos de diabetes melito da mãe e do fator constitucional (familiar). Bebês pequenos ocorrem em casos de desnutrição materna, tabagismo e restrição do crescimento intrauterino.

• A pele do bebê está coberta pelo verniz caseoso, que dá o aspecto de grumos brancos no líquido amniótico, determinando o grau de maturidade fetal.

• O exame de Ultrassom Obstétrico pode detectar a presença de cordão umbilical em volta do pescoço do bebê. Mas isso não é motivo de grande preocupação, anormalidade ou ainda indicar a necessidade de realizar uma cesariana.

• No intestino, acumula-se uma substância escura e espessa chamada “mecôneo”, que será eliminada pelas fezes depois do nascimento. Caso ocorra alguma diminuição da oxigenação (hipoxia), mesmo transitória, o bebê pode eliminar o mecôneo ainda na barriga, tornando o líquido amniótico esverdeado. Neste caso, pode haver sofrimento fetal.

Comprimento: 50 cm aproximadamente.

Peso: 3,6 kg aproximadamente.

Mudanças na gestante

• Você pode ter dificuldades para dormir e realizar as suas atividades rotineiras. Se cansa facilmente e não vê a hora de estar sem a barriga. Está muito limitada e incomodada.

• Tem uma sensação de peso quase constante. Sente pontadas na parte inferior da barriga e

vagina, principalmente durante as contrações, como se a sua bacia estivesse abrindo.

• Pode haver dormência nas pernas, além das cãibras e da piora do inchaço, causadas também pelo peso e pela compressão uterina.

• A descida do útero e da cabeça do bebê causam vontade de urinar com mais frequência, além de desconforto.

• A pele de sua barriga está muito esticada, o que pode fazer você sentir intensa vontade de coçar. Continue usando os óleos e cremes hidratantes, mesmo se tiverem aparecido estrias. Não se culpe nem tenha medo de coçar.

• As contrações uterinas normais da gravidez tornam-se cada vez mais frequentes e duradouras, porém ainda são localizadas mais nas costas e na pelve, sem ritmo irregular. Essas contrações, a sensação de barriga dura, ainda são pouco dolorosas e podem melhorar sozinhas ou exigir uso de medicação. Progressivamente, elas se tornam mais dolorosas.

• O colo do útero começa a se posicionar, amolecer e afinar pela ação das contrações.

• Pode ocorrer uma melhora da azia e do refluxo gástrico com a descida do útero e encaixe do bebê.

Ganho de peso na gestação

No final da gravidez, você tende a parar de ganhar muito peso, mas pode haver um inchaço decorrente da retenção hídrica no seu corpo. A média do ganho de peso durante toda a gestação é entre 11 e 16 kg, para gestantes com peso inicial normal; mulheres com sobrepeso devem engordar menos. Logo após o parto, perde-se, em média, cerca de 6 kg.

Cuidados e atividades:  40 semanas de gestação

• Aproveite para descansar o máximo que puder e procure se distrair, relaxar.

• Evite opiniões e experiências negativas de outras pessoas, mesmo de familiares, pois podem causar ansiedade, insegurança e temores, principalmente se for a sua primeira gestação. Anote suas dúvidas e procure sempre o seu médico para esclarecê-las.

• Você deve ser acompanhada regularmente pelo seu médico do pré-natal até a 40a semana de gestação. A partir daí, caso sua gestação esteja normal, ele deve orientá-la a ser

acompanhada também no hospital com novas avaliações e seguimentos, em intervalos de 2 a 3 dias, geralmente.

• Leve sempre seu cartão de pré-natal com o resultado de todos os exames, além das ultrassonografias.

• Menos de 10% dos bebês nascem na data prevista do parto, igual a 40 semanas. É perfeitamente normal o parto adiantar ou atrasar uma semana. Uma gestação normal dura de 37 até 41 semanas e 6 dias. Se tudo estiver normal com você e o bebê, espera-se o parto natural pelo menos até a 41a semana. Neste período, são realizados exames e ultrassonografia que avaliam a vitalidade e o bem-estar do bebê, assim como as condições do seu colo do útero (dilatação). Leve seu companheiro ou familiar à consulta para conversar com o médico e procurar se tranquilizar também.

• Nesta fase, é comum você sentir o bebê se mexer menos ou de forma diferente, mas isso é porque há menos espaço e menos líquido na bolsa. É importante perceber e até anotar, caso necessário, o ritmo de movimentação do bebê, que varia muito em cada gravidez. Você sente mais facilmente seus movimentos à noite ou após as refeições. Caso ele mexa menos de 10 vezes por dia, diminua o número de movimentações pela metade de um dia para o outro ou fique sem se mexer mais de seis horas seguidas, mesmo depois de você comer algo, procure o seu médico ou o hospital.

• Deixe tudo pronto em casa para a chegada do bebê, assim como a mala para a maternidade. Compre alimentos e guarde-os para quando voltar da maternidade. Se tiver outros filhos, converse com eles e veja com quem pode deixá- los durante a sua internação. Providencie o transporte para o dia do parto.

• Nestes últimos dias, você pode sentir contrações mais fortes, duradouras e com maior frequência. Progressivamente, as contrações, que antes eram apenas um rápido endurecimento do útero, como um desconforto localizado somente nas costas ou no pé da barriga, se tornam mais dolorosas. Tipicamente, as dores do início do trabalho de parto começam nas costas e no alto do útero, descendo em direção à pelve e à vagina, de cima para baixo.

• Após o início das contrações, pode ocorrer a chamada “perda do sinal” ou “tampão mucoso”, que é a saída pela sua vagina de uma espécie de geleia grudenta de coloração branco- amarelada, às vezes tingida de sangue. Isso significa também que já teve início o processo da dilatação uterina, motivo da dor. Pode acontecer dias antes do parto, sendo apenas um alerta de que o dia tão esperado se aproxima. Se todo o resto estiver bem, não precisa ir até a maternidade somente por esse motivo.

• Tome banhos mornos e deite-se de lado, aguardando as contrações ficarem bem fortes e ritmadas. Anote-as, se quiser. A critério médico, se sentir muito incômodo ou dores, principalmente à noite, impedindo-a de dormir, pode vir a ser medicada para verificar se as dores melhoram ou cessam (alarme falso).

• O ideal é o obstetra que fez o pré-natal ser o responsável pelo seu parto na maternidade, proporcionando um maior vínculo afetivo, confiança e envolvimento, para assim obter melhores resultados.

• O volume e a quantidade de líquido amniótico tende a diminuir progressivamente com o final da gravidez. Após 40 semanas, o líquido deve ser monitorizado com ultras- sonografia para aguardar com segurança o parto normal.

• Não raramente, pessoas próximas ou familiares, ao ve- rem as dificuldades do final da gestação e baseados em crenças ou experiências pessoais, podem transferir inse- gurança para você, aumentando ainda mais a sua ansie- dade, o seu medo e a sua dor. Tendem assim a solicitar ou mesmo exigir a interrupção do processo natural e espontâneo do parto, transformando o nascimento em um ato cirúrgico, como a “cesárea a pedido”, com conse- quentes maiores riscos e complicações desnecessários.

• O sinal de que chegou o dia do parto é as contrações dolorosas, que podem ter durado dias ou horas, tornarem-se “ritmadas”, cada vez mais intensas e longas, com a frequência de, no mínimo, duas contrações a cada 10 minutos seguidamente. Isso durante, pelo menos, 1 hora de observação.

• Informe-se antes com o seu médico sobre os sinais de alerta da proximidade, do início e da duração do trabalho de parto, além do prazo de espera. Assim, será possível se encaminhar ao hospital no momento certo e melhor para você.

• Você pode elaborar seu plano de parto e discuti-lo com o seu médico, ainda no pré-natal, sobre os procedimentos a serem realizados, as melhores opções e condutas.

 

Acompanhe a gente nas redes

Objetivo deste portal é ser uma fonte de referência, contendo material de cunho cientifico atualizado
sobre temas e assuntos relevantes de interesse da sociedade para fins educativos