Telefone (11) 3044-2853

Gravidez de gêmeos

Gravidez de gêmeos é comum?

A incidência de gravidez de gêmeos é de aproximadamente 1 para cada 80 gestações naturais, cerca de 1 a 3% de todas as gestações, e tem aumentado a cada ano, devido aos avanços da medicina reprodutiva. O diagnóstico do tipo de gestação múltipla é ultrassonográfico, normalmente no início da gravidez.

Existem dois tipos de gestação gemelar.

Gestação monozigótica ou gêmeos idênticos, semelhante a uma gravidez inicial normal, em que o ovo sofre uma divisão ao acaso, dias após a sua fecundação. Quando isso ocorre, divide-se em duas metades iguais, dando origem a dois bebês idênticos, com as mesmas características genéticas e físicas, sendo do mesmo sexo e dividindo uma placenta única. Tem frequência de 1 a cada 250 nascimentos e correspondem a 1/3 das gestações duplas.

Na gestação monozigótica (1 único ovo), de acordo com o período em que o ovo fertilizado se divida, dará origem a 2 placentas e 2 sacos amnióticos. Mais tardiamente dará origem a 1 placenta e 2 bolsas amnióticas, 1 placenta e 1 bolsa amniótica, até a formação de fetos unidos numa divisão muito tardia.

Gestação dizigótica, em que dois óvulos distintos são fecundados por dois espermatozóides separadamente, dando origem a bebês diferentes, que poderão ou não ser do mesmo sexo, tendo cada um a sua bolsa e placenta, são sempre 2 placentas, dicoriônicas.

São 2/3 das gestações gemelares com incidência de aproximadamente 0,5% a 1,5% de todas as gestações, sofrendo influência de fatores hereditários, como antecedente de gêmeos na família. Ocorre em mulheres que tendem a liberar dois óvulos espontaneamente no processo da ovulação. Mais comumente, acontece após o uso de medicamentos para tratamento da esterilidade, com a ovulação sendo induzida artificialmente, o que causa maiores riscos de gestações trigemelares ou mais.

Fatores predisponentes para gravidez de gêmeos

  • Maior idade materna, história familiar (lado materno), raça negra, multiparidade (maior número gestação anterior), frequência maior de relação sexual, técnicas de indução da ovulação ou fertilização assistida

A gestação múltipla é considerada de risco elevado, com mortalidade perinatal 5 vezes mais alta, devendo a parturiente dar à luz em centros especializados. Há maior freqüência de partos antecipados e recém-nascidos prematuros, com um conseqüente aumento de doenças e complicações no bebê. Nesse tipo de gravidez você deve manter repouso domiciliar e uma maior restrição da atividade física, principalmente à medida que se aproxima o seu final. No parto, usualmente será mais comum à necessidade de cesárea.

Complicações relacionadas com a gestação gemelar

  • Abortamento, diabetes gestacional, crescimento fetal restrito, trabalho de parto prematuro, pré-eclampsia, hiperemese gravídica (aumento exagerado vômitos). Além destas complicações, incluem-se também a prematuridade, malformação fetais, rotura prematura de membranas ovular. Também deve-se considerar mortalidade fetal, anemia, placenta prévia (inserção baixa), polidrâmnio (aumento líquido amniótico), apresentação anômalas (feto posição anormal).