Telefone (11) 3044-2853

Evitar a gravidez utilizando DIU

evitar a gravidez utilizando diu

Evitar a gravidez utilizando DIU

Métodos Reversíveis de Longa Duração (LARC)

Evitar a gravidez utilizando DIU parece não ser um método tão familiar, pois a falta de conhecimento em como evitar a gravidez não desejada representa um importante problema mundial. Da mesma forma em nosso país, onde cerca de 55% das gestantes brasileiras não queriam estar grávidas naquele momento. Segundo estudos recentes, porém, utilizando o DIU, que é um método receversível e de longa duração, muitas gestações indesejadas podem ser evitadas.

A gravidez não desejada, ou indesejada, pode resultar em maiores efeitos adversos tanto para a mãe como para o bebê. Inclusive, elevando as taxas de mortalidade materna além de acarretar repercussões negativas na esfera econômica e social.

A escolha de contraceptivos reversíveis de longa duração como o DIU é certamente uma das principais intervenções para a necessária redução de gravidez não desejada. Por conta da alta eficácia destes métodos, aliada a elevadas taxas de satisfação e continuidade.

O que são contraceptivos reversíveis de longa ação? (LARC)

Contraceptivos Reversíveis de Longa Ação, como o DIU, são definidos como aqueles que apresentam duração contraceptiva igual ou superior a três anos sendo representados pelos dispositivos intrauterinos DIU de cobre, DIU hormonal e pelo Implante contraceptivo hormonal.

Os LARCs são os métodos reversíveis mais eficazes conhecidos com eficácia até mesmo semelhante aos métodos cirúrgicos definitivos como a Vasectomia e a Ligadura das Tubas Uterinas.

Os contraceptivos reversíveis de longa ação (LARC) podem ser recomendados para todas as mulheres que desejam contracepção eficaz, incluindo adolescentes e mulheres que nunca engravidaram. Também para mulheres que tem contraindicações a outros métodos contendo hormônio estrogênio, como as pílulas anticoncepcionais. Os LARCs apresentam assim um pequeno número de contraindicações, elevada eficácia e satisfação.

DIU de Cobre:

O mecanismo de ação deve-se a um efeito sobre os espermatozóides e muco do colo do útero além de alterações na cavidade uterina devido às altas concentrações de cobre. É ainda pouco utilizado em nosso país sendo um método com alta eficácia, baixo custo e fácil manejo.

O DIU de cobre tem longa durabilidade, de 10 anos, e falha muito baixa. Ele será preferencialmente inserido dentro do útero durante o período menstrual, pois o colo encontra-se mais dilatado além de se excluir a gestação. Este método pode ser usado mesmo em mulheres sem filhos (nuligesta).

Um efeito colateral possível com a utilização do DIU é o sangramento menstrual irregular com tendência ao aumento do volume do fluxo menstrual assim como a piora da cólica menstrual, sendo esta a principal causa de descontinuação.

DIU hormonal

O DIU hormonal  libera um hormônio do tipo progesterona em baixas doses diariamente na cavidade uterina com eficácia por 5 anos, que é o tempo preconizado de seu uso.

O mecanismo de ação do DIU hormonal ocorre no muco cervical do colo uterino, na inibição da motilidade do espermatozóide e pelo efeito hormonal na cavidade uterina.

A ação hormonal deste tipo de DIU é basicamente um “efeito local” sobre o endométrio do útero. Esta ação possibilitará além da atividade contraceptiva, outros “efeitos benéficos” do DIU hormonal como prevenir ou melhorar a anemia, tratar o fluxo menstrual abundante ou cólica menstrual. Evita assim, muitas vezes, a necessidade da cirurgia de retirada do útero (histerectomia). Este tipo de DIU funciona também como uma boa alternativa em mulheres com endometriose e miomas uterinos.

Evitar a gravidez utilizando diu

Mais de 50% das usuárias do DIU hormonal tenderão a interromper o ciclo menstrual (amenorréia) após 6 meses de uso e cerca de um terço das mulheres terão grande diminuição do fluxo menstrual.

O DIU hormonal é inserido dentro da cavidade do útero no próprio consultório médico preferencialmente durante o período menstrual, afastando assim a possibilidade de gravidez prévia.

A taxa de eficácia do DIU hormonal é muito alta quase igual a da Vasectomia e maior que a da Ligadura Tubárea, assim como sua elevada taxa de satisfação nas usuárias. Evitar a gravidez utilizando DIU portanto, oferece um grau de confiança elevado.

Este tipo de DIU pode ser usado também em mulheres que nunca engravidaram (nuligesta) sendo liberado e indicado inclusive para as “adolescentes”.

Implante hormonal

Os implantes são dispositivos plásticos colocados na pele, com liberação contínua de um hormônio tipo progestagênio.

O efeito contraceptivo é obtido principalmente por meio da inibição da ovulação, além de alterações no útero.

As principais indicações do uso do implante são mulheres que não podem utilizar outros métodos hormonais como as pílulas e os injetáveis anticoncepcionais tradicionais. Outra utilização frequente é para o controle e tratamento da endometriose, para o tratamento da TPM (Tensão Pré-menstrual), além de indicado para adolescentes pela elevada segurança e satisfação deste método.

O Implante hormonal apresenta uma das mais altas taxas de eficácia contraceptiva, semelhante à Vasectomia com duração de uso por 3 anos.

O padrão de sangramento menstrual com o uso do implante é favorável em mais de 50% das usuárias com ausência ou diminuição da frequência menstrual.

A inserção do implante é um procedimento simples via subdérmica (abaixo da pele) na região interna do antebraço feita com anestesia local no próprio consultório médico.