Telefone (11) 3044-2853

Congelamentos de óvulos e embriões

congelamento de óvulos

A reserva ovariana preservada para o futuro

O congelamento de óvulos e embriões se tornou possível pelo avança da ciência e da tecnologia.

A fertilidade e a reserva ovariana diminuem progressivamente tanto na qualidade como na quantidade dos ovócitos, com o avançar da idade e o envelhecimento ovariano, motivo pelo qual o progressivo retardo da concepção entre as mulheres tem-se refletido em maiores dificuldades para engravidar.

Segundo estudo de Speroff & Fritz,2005, numa população americana com alta fertilidade observou-se que 11% das mulheres não tiveram filhos após os 34 anos, 33% eram inférteis após os 40 anos, e 87% após os 45 anos.

A taxa de abortamento aumenta, assim como a taxa de implantação embrionária diminui, com a elevação da idade.

Fatores importantes para determinar a função ovariana

O hormônio antimulleriano (AMH) é um marcador da função das células da granulosa do ovário sendo utilizado para avaliar a reserva ovariana e o envelhecimento ovariano. Na reprodução assistida ele é o melhor marcador da resposta ovariana em ciclos estimulados. A contagem de folículos antrais (CFA) pela ultrassonografia é outro importante mecanismo para determinação da função ovulatória ovariana.

Não existe nenhum exame capaz de responder ou predizer nossas indagações e expectativas sobre a reserva ovariana e o futuro reprodutivo da mulher.

Congelamento de óvulos e embriões versus a idade

Atualmente uma importante indicação de preservação da fertilidade são os casos de diagnostico de câncer, principalmente de mama e ovário em mulheres que tem desejo futuro de gravidez.

A criopreservação de embriões é um método bem estabelecido de preservação da fertilidade e tem sido utilizado rotineiramente para guardar os embriões excedentes dos ciclos de fertilização assistida. As taxas de sucesso estão diretamente relacionadas a idade da mulher.

Congelamento de óvulos versus resultados

Por outro lado, a criopreservação de oócitos não exige um parceiro ou doador de esperma mas no entanto, infelizmente, apesar do avanço de novas técnicas, as taxas de sucesso publicadas na literatura com este método ainda são muito baixas. A técnica de “Vitrificacao” do oócito tem-se apresentado com melhores resultados de sucesso em relação à criopreservação clássica antiga.

O ginecologista deve ser consultado

O ginecologista atual deve conversar sobre o planejamento reprodutivo com a mulher, sobre os efeitos maléficos da idade com relação à fertilidade, e caso ela tenha planos futuros de procriar poderá oferecer então, a opção de preservação da fertilidade numa época onde a reserva ovariana é ainda favorável, ou seja, na média de idade de 35 anos.