Telefone (11) 3044-2853

Sindrome dos ovários policísticos

Por que aparece cisto no ovário?

A ocorrência de cisto no ovário, ou síndrome dos ovários policísticos (SOP), é uma patologia causada por uma alteração na produção dos hormônios sexuais femininos onde ocorre um quadro de aumento dos androgênios (hormônio masculino), levando assim a sinais de hiperandrogenismo. Entre eles: acne, queda cabelos, aumento dos pelos (hirsutismo), a alterações no ciclo menstrual com tendência a atraso/ausência da menstruação (amenorreia). Ocorre também a ausência de ovulação (anovulação) causando dificuldade para engravidar (infertilidade), maior frequência de obesidade. Como característica principal, pequenos múltiplos cistos nos ovários com aumento do volume ovariano (ovários polimicrocisticos) visualizados pela ultrassonografia.

E’ importante diferenciar que uma simples visualização de múltiplos cistos nos ovários pelo ultrassom, numa paciente sem queixas ou alteração clínica, pode ser um achado normal de uma mulher fértil, com ovulações mensais regulares.

Como é o tratamento?

Por ser uma doença crônica, sem cura, o tratamento será apenas dos sintomas clínicos e suas consequências. Correção das alterações hormonais, principalmente da elevação androgênios, das alterações metabólicas que causam elevação triglicérides e colesterol, regularização do ciclo menstrual. Estas alterações se não controladas e tratadas adequadamente aumentam o risco para doenças cardiovasculares.

Para controlar a produção excessiva de hormônios masculino e regular o ciclo menstrual poderá ser indicado o uso de pílulas anticoncepcionais.

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é uma causa frequente de infertilidade, devido a um estado de anovulação crônica, com consequente irregularidade (atraso) menstrual. Até a ausência da menstruação associada ao hiperandrogenismo (aumento do nível de hormônio masculino).

Como afeta a fertilidade?

Poderá haver a necessidade de estimular os ovários e a ovulação com o uso de medicamentos apropriados. Devido à presença comum de outras alterações, como obesidade, androgenismo, elevação dos estrogênios, cistos ovarianos, estas mulheres geralmente não respondem tão bem às tentativas de tratamento da esterilidade.

Neste contexto, se recomenda então que a mulher procure melhorar ou tratar previamente algumas destas anormalidades, fazendo dieta para reduzir o peso corpóreo, reduzindo o nível de androgênios ou da glicemia (açúcar) no caso de Diabetes, diminuindo o volume ovariano e os cistos no ovário, para assim tentar obter uma resposta mais favorável e a tão sonhada gravidez.