Telefone (11) 3044-2853

Amamentação

amamentação

A importância da amamentação

Para a amamentação, você deve ser orientada, desde o pré-natal, quanto ao preparo e cuidados com suas mamas, para assim obter melhores resultados. Poderão ser indicados exercícios para estimular a saliência dos mamilos e o preparo de sua pele. Após o nascimento, use sutiãs apropriados para a lactação, dando preferência aos de algodão, sem armação de metal, para manter as mamas firmes, porém confortáveis. Deverá ser, sempre que possível, estimulada à amamentação precoce, já na sala de parto, logo após o nascimento, e na presença do pai.

É papel da equipe multiprofissional de saúde lhe fornecer toda orientação necessária, assim como apoio emocional, informações uniformes e ensino de técnicas corretas das mamadas. Aproveite a sua estadia na maternidade para esclarecer dúvidas, crenças e aprender ao máximo, fortalecendo a prática do aleitamento materno. Nesse sentido, recomenda-se que você pratique o “alojamento conjunto” já durante toda a sua permanência na maternidade, o que aumenta o vínculo de contato afetivo com seu filho, além do aprendizado.

A apojadura ou “descida do leite” ocorre, geralmente após o terceiro dia do parto, entre o 3o e 5o dia, ocorrendo mais cedo do 2o filho em diante. Neste período poderá ocorrer uma leve elevação da sua temperatura, com duração menor que 12 horas, se houver ingurgitamento mamário (leite empedrado), fenômeno que alguns chamam de “febre do leite”.

É muito importante iniciar o aleitamento do bebê no peito desde o nascimento para, dessa forma, estimular a liberação dos hormônios que determinarão a produção maior e mais rápida de leite. Um bebê de nove meses nasce “preparado” para aguardar a chegada do leite, permanecendo quase em jejum neste período, ocasionando assim uma perda diária de peso, normal nesta fase. Este é um dos motivos e importância da gravidez chegar até o seu final, 40 semanas completas, pois principalmente, nas 2 últimas semanas dentro do útero, o bebê tem seu maior ganho de peso, como se estivesse amadurecendo para nascer.

Cuidados especiais na amamentação

Entre uma mamada e outra você poderá passar uma pomada à base de lanolina nos bicos dos seios para evitar o ressecamento da pele, que predispõe ao trauma e às rachaduras. Deixe também o seu colostro ou leite secar naturalmente no local. Caso use “absorventes para seios”, troque-os com frequência, pois a umidade constante dos mamilos também favorece a formação de fissuras.

Uma boa alternativa no lugar dos absorventes é o uso de conchas para seios, que além de preparar melhor os mamilos, ainda os mantém mais secos e arejados. Elas poderão ser utilizadas desde antes do parto, principalmente no caso de mamilos invertidos ou pouco salientes.

Mantenha uma dieta balanceada e saudável, com maior ingestão de líquidos e água, importantes para a produção do leite. Recomenda-se evitar o uso de cremes ou pomadas industrializadas para fins de prevenção, utilizando apenas para o tratamento de rachaduras acentuadas nos mamilos ou sangramento local. Dê preferência a produtos naturais para esse fim, como a lanolina pura. Procure verificar se não está ocorrendo uma posição incorreta de sucção do bebê (pega inadequada no peito), frequentemente associada como causadora de fissuras e dores.

Caso necessário, e somente a critério medico, utilize o bico intermediário de silicone para proteger os mamilos, até ocorrer a melhora das condições locais e cicatrização da pele. O uso rotineiro ou prolongado do bico protetor de mamilos tende a diminuir a produção de leite.

Quando será a primeira mamada?

Nos primeiros dias, caso o bebê seja “preguiçoso”, ou dorminhoco, e a sua mama esteja muito ingurgitada (inchada e dolorida), você poderá fazer uma ordenha manual para ajudar a saída inicial do leite e a sucção do bebê. Amamente-o livremente “sem restrições” no intervalo, na duração e na quantidade que ele desejar, “livre demanda”. Faça compressas frias ou bolsa de gelo para o alívio da dor e do inchaço. Evite o uso de bicos artificiais, chupetas, mamadeiras e qualquer substituto ou complemento do leite materno. Saiba que a amamentação no peito auxilia muito no retorno do seu corpo ao normal após o parto, acelerando a perda de peso e gordura acumulada durante a gravidez, além de todos os outros benefícios físicos e afetivos para o seu bebê.

Procure a posição mais confortável para você e o bebê durante a lactação, dando preferência às posições que o mantém mais verticalizado. O bebê deve mamar o peito e não somente o mamilo, abocanhando quase toda a sua aréola, local onde fica armazenado o leite, determinando assim a chamada “pega correta”, que por sua vez irá promover um estímulo adequado e suficiente para manter a produção de mais leite.

O choro do bebê nos primeiros dias de vida nem sempre significa “fome” mas frequentemente apenas parte de um processo de adaptação e conhecimento entre mãe e filho. Procure manter-se calma e tranquila. Na natureza humana o bebê nasce adaptado para aguardar a chegada do seu leite no tempo certo, em media 2 a 3 dias após o parto. A sua mama precisará passar por transformações até conseguir produzir o leite necessário e suficiente para alimentar o bebê. Assim como todo o processo do nascimento, a lactação será uma etapa fisiológica e natural. Devemos apenas procurar compreende-la melhor.

Tente afastar sentimentos e pensamentos negativos, desencorajadores como: não tenho leite, sou uma mãe má ou incapaz, meu bebê está passando fome e por isso não pára de chorar…