Telefone (11) 3044-2853

Aborto

O que é?

É a perda da gestação com morte ou concepto eliminado (aborto) pesando menos de 500 g, antes da 20a semana de gravidez (alguns consideram até a 22a semana). Pode ser de causa espontânea ou provocada. É chamado precoce quando acontece até 12 semanas de gestação, que são mais frequentes, 65% dos casos) ou de tardio, entre 13a a 22a semanas, após 3 meses (35% dos casos). Ocorre em torno de 10% a 15% de todas as gestações, ou seja, aproximadamente 1 em cada 10 gestações termina em aborto.

O aborto, principalmente o precoce e inicial, no primeiro trimestre, tem como maior causa as anomalias cromossômicas, como as trissomias ou Síndrome de Down, responsáveis por até 2/3 dos casos. Tem forte associação com idade materna avançada. Mais de 90% das anomalias cromossômicas tem origem materna com problema no óvulo da mãe. Cerca de 1/3 dos casos de aborto tem causa não identificada.
No caso de você ter um aborto, deverá fazer um exame de sangue logo em seguida para verificar sua tipagem sangüínea, caso ela já não seja conhecida. Se o resultado for tipo Rh negativo, necessitará receber uma vacina preventiva anti-Rh no prazo de até 72 horas após o abortamento. Exceto quando seu parceiro também tenha sangue tipo Rh negativo.

Quais as causas mais comuns do aborto?

As principais causas conhecidas de abortamento são:
– Anomalias cromossômicas, anomalias do ovo ou de implantação, mecanismos imunológicos, infecções, malformações uterinas, miomas uterinos (dependendo da localização). Também causas hormonais, como a insuficiência ovariana, alteração endométrio devido curetagem uterina prévia, anemias graves, sífilis na gestação, problemas da tireoide, diabetes descompensado, defeitos uterinos como a incompetência cervical.

Como causa de abortamento tardio, após o primeiro trimestre, temos as alterações do útero como a insuficiência istmo-cervical, onde geralmente ocorre a expulsão quase indolor do feto vivo. O colo uterino encontra-se dilatado e ocorre pouco sangramento antes.